Cidade de Santa Maria: do mercado de inovação para o de economia!

A Cidade de Santa Maria já é reconhecida nos cenários nacional e internacional por ser o celeiro do seu principal capital, o humano! É uma das principais cidades formadoras de recursos humanos: técnicos, graduados, mestres e doutores, por meio de suas instituições de ensino, em diversas áreas do conhecimento.

Como reflexo disso, tem-se o fortalecimento das atividades de pesquisa e inovação nas instituições, resultando em programas de graduação e pós-graduação de excelência, laboratórios de referência internacional, projetos com os setores público e privado.

Tais atividades beneficiam, direta e indiretamente, a cidade, pois boa parte das soluções tecnológicas, serviços ou processos são aplicadas e validadas na região, explorando o conceito de laboratório “vivo”.

Aliados à isso, a cidade também conta com incubadoras (startups) e parques científicos e tecnológicos, que estimulam a criação de novos empreendimentos e soluções, fortalecendo o ecossistema de inovação e empreendedorismo da quádrupla hélice: setor público, setor privado, sociedade civil organizada e instituições de ensino.

A tendência é uma conexão cada vez maior dos diversos atores desse ecossistema promovendo uma série de atividades conjuntas como educação empreendedora, desafios tecnológicos, maratonas de inovação, entre outros.

O grande desafio é transformar esse “mercado de inovação”, tal como Santa Maria já é reconhecida, em “mercado de economia”. Nesse sentido, é fundamental que ocorram as transferências de tecnologias, de modo que as soluções criativas e inovadoras cheguem à sociedade.

A cidade está no caminho certo, promovendo a aproximação dos diversos atores em prol de seu desenvolvimento, que facilitará o processo de inserção da inovação na sociedade. Esse contexto contribuirá com o desenvolvimento de Santa Maria em áreas como Varejo, Turismo, Saúde, Educação, Agronegócio e Tecnologias Sustentáveis, além de também criar mais oportunidades para retenção dos nossos talentos!


*Texto de responsabilidade exclusiva do autor e sua opinião não representa, necessariamente, a posição da ADESM.





Daniel P Bernardon

Diretor da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (AGITTEC) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Bolsista de Produtividade em Pesquisa PQ-2 do CNPq. Coordenador de Projetos Institucionais de Internacionalização e de PD&I. Coordenador do Comitê de Assessoramento de Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS). Vice Coordenador do Comitê Técnico de Sistemas de Potência da Sociedade Brasileira de Automática (SBA). Vice Chair do Joint Chapter IAS/IES/PES/PELS - IEEE South Brazil Section. Editor Associado do Journal of Control, Automation and Electrical Systems (JCAE SBA/Springer).

132 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo