RECEBA AS NOVIDADES
FALE COM A ADESM
comunicacao@adesm.org.br
(55) 3222-0088
Av. Pedro Cezar Saccol, 555.
Parque Industrial Tecnológico, Santa Maria - RS.
CEP 97030-040.
  • Facebook da Adesm
  • Instagram da Adesm
  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco

     Entretanto, os principais rebanhos do Município apresentam resultados negativos quanto ao crescimento do efetivo de animais e do produto de origem animal. Enquanto o rebanho bovino cresceu 6,85%, no Estado, de 2000 para 2011, no Município, diminuiu 8,26%. O mesmo aconteceu com o número de cabeças de suínos, que aumentou 37,36%, no Rio Grande do Sul, mas teve uma redução de 49,83% em Santa Maria. Um resultado semelhante se verifica no efetivo de galos, frangas, frangos e pintos, pois o Município a redução foi de 46,99% contra o crescimento de 40,50% no Estado. Por outro lado, o rebanho ovino caiu tanto no Estado quanto no Município, respectivamente, 16,88% e 19,04%.

       Em relação aos produtos de origem animal (leite, ovos de galinha, mel de abelha e lã), os resultados também chamam a atenção pela redução continuada ao longo do tempo. Enquanto no Rio Grande do Sul a produção de leite cresceu 84,56% de 2000 para 2011, em Santa Maria, caiu 34,70%. O mesmo vem ocorrendo com os demais produtos: ovos de galinha (-48,85%), mel de abelha (-19,14%) e lã (-17,32%). Nesse mesmo período, a produção, no Estado, de ovos de galinha cresceu 21,23% e a de mel de abelha, 20,12%, mas a produção de lã apresentou queda de 13,27%.

 

      Para Santa Maria continuar crescendo economicamente, deve fazer um esforço a fim de expandir o agronegócio como um todo, não apenas a produção de grãos, o que já vem ocorrendo, mas também os rebanhos, a produção de origem animal, os hortifrutigranjeiros e flores, além de agregar valor aos produtos locais.

   No entanto, para atingir esses objetivos, várias ações deverão ser realizadas nos distritos do Município, como melhorar a infraestrutura para o desenvolvimento humano e a produção, articular a atuação conjunta da assistência técnica e promover a participação dos produtores junto a nosso Mercado Público.

      Este eixo estratégico foi construído a partir das contribuições dos voluntários do Grupo de Trabalho (GT) de Agronegócio. A visão, os objetivos e as propostas foram definidos a partir da realização de 10 reuniões, com 50 voluntários, 119 presenças e 27 entidades participantes.